Criação dos Pontos de Cultura

logomarca dos Pontos de Cultura

Logomarca dos Pontos de Cultura

No dia 3 de setembro de 2004 encerrava-se as inscrições para o primeiro edital dos Pontos de Cultura, ação prioritária do Programa Cultura Viva, um projeto do Ministério da Cultura concebido para resgatar, incentivar e preservar a cultura brasileira.

Lançados no 2º ano da gestão de Gilberto Gil à frente do MinC, os Pontos de Cultura são, segundo a página oficial do Cultura Viva, “entidades reconhecidas e apoiadas financeira e institucionalmente pelo Ministro da Cultura que desenvolvem ações de impacto sócio-cultural em suas comunidades”. Em abril de 2010,os pontos eram  2,5 mil em 1122 cidades brasileiras.

No mesmo ano de 2004, também foram criados os Pontões de Cultura, que são constituídos como espaços de articulação entre os Pontos de Cultura com o objetivo de capacitar produtores, gestores, artistas e de difundir produtos. Atualmente são 106 ( junho/2010) espalhados pelo Brasil, criados no 1º edital (2004), no 2º (2007) – que também passou a contemplar os Pontões Digitais, que possuem as mesmas funções dos Pontões de Cultura mas tendo por foco  predominantemente os meios digitais na promoção de suas atividades – e no 3º (2009).

A fala abaixo de Gilberto Gil, proferida em um encontro de artistas em Berlim em setembro de 2004, dá uma ideia da função original do projeto:

“Cada Ponto de Cultura vai ser um amplificador das expressões culturais da sua comunidade. Onde se faz (ou se quer fazer) música, haverá um estúdio de gravação digital, com capacidade para gravar, fazer uma pequena tiragem de CDs e botar na Internet o que foi gravado. Onde se faz (ou se quer fazer) vídeo, cinema ou televisão comunitária, haverá um estúdio de vídeo digital, com câmera, ilha de edição, microfones e mala de luz. E mais: dança, teatro, leitura, artes visuais, web, enfim, o que a comunidade quiser e puder, ousar e fizer, sonhar e materializar.” (Fonte: Arquivo de notícias do MinC)